25 março 2006

palavras perigosas

Quero ver-te nua. Deixa-me sentir-te.

A meia luz, de olhos bem abertos, já não havia outro caminho, quando estas palavras se atravessaram à nossa frente. À tua frente. Tu à minha frente.
Nunca hesitaste. Ainda bem. Nunca o quis. Nunca te quis de outra forma. Em nada. Quis outro caminho e que outras palavras nos atropelassem. Fiquei com estas. Fiquei contigo. Nua.