03 outubro 2005

o tempo

Passamos mais de uma hora e meia ao telefone. O jantar, que não resiste tanto quanto eu, queima-se. Eu também me queimo com o jantar, já depois de desligarmos. Continuamos e trocamos mensagens sobre o tempo.
Tanto gostas dele como o odeias, dizes tu. Eu digo que quarta feira vamos ver o tempo voar quando, na verdade, quero ver-me a voar contigo. Não sei se teremos tempo para tudo. Quero ter tempo para nós. Não precisa de ser quarta. Pode ser sempre.