11 outubro 2005

hoje

Hoje encontrámo-nos. Não me recordo do último dia em que tínhamos estado juntos. Talvez chegue a altura em que poderei explicar como tudo aconteceu, mas talvez nunca chegue o dia em que o queira fazer. Nunca acabámos, mas fomos acabando até deixarmos de existir. Hoje voltámos a estar juntos.

Estacionámos o carro no nosso parque, à nossa hora e também fomos ao nosso restaurante. Depois, voltámos a ficar no carro a conversar, como tantas vezes fizemos. Trocámos um beijo envergonhado. Um único. Para os restantes já não houve tempo para cerimónias. Já nos vimos nus. Não há espaço para cerimónias. Foi muito bom. Foi óptimo sentir-te o corpo. Foi melhor sentir-te perto de mim.

O pior é saber que este é um jogo que não vamos conseguir ganhar.